7.9.11

das coisas que guardamos


.





Um belo dia você acorda decidida esquecer das noticias e ausências que te feriram tanto. Levanta e vai levando a vida lembrando, querendo esquecer. Vai à padaria ou até o ponto de ônibus querendo sentir o cheiro de encanto. Mas só sente o cheiro de lembrança. É que quando dói demais a gente não acredita que um dia a dor passa, mesmo que todo mundo fale. Mas passa. De verdade. É que a vida tem mesmo dessas voltas e acreditar nas pessoas e nas suas boas intenções ainda vale a pena. Porque simplesmente ainda existem pessoas que acreditam como você.

Dai você olha pra sua vida e aceita a mistura de mulher cheia de pé no chão, brava e meio esquisita com uma menina cheia de sonhos e brigadeiros. Um jeito meio Amelie que pode mudar tudo, até os sonhos

Alguns sorrisos no meio do caminho te confundem ainda com a decisão da mudança. E trazem oque tanto você queria esquecer. Mas lembra também dos sorrisos daqueles que se reegueram por problemas resolvidos maiores que o seu. E sorri de volta, como quem agradece o pensamento mandado por algum anjo bom. E lembra-se do erros, mas não esquece que não errou sozinha. E você não tem que mudar de casa, nem de rua, nem rosto, você tem que mudar seu pensamento. Ser gentil com seus erros, ajuda a corrigi-los. Te corrigir pro melhor que a vida está te preparando.

E a vida sempre estende a mão pra quem ciranda com ela. E então, sua história muda, orgulhos e tristezas são sentimentos feitos pra deixar de lado. Afinal e ainda bem, sentimento também muda!

A gente lê Caio Fernando, Tati Bernardi e Clarice e se reconhece acreditando que são eles que têm a cura pra dor. Podem até ajudar, menina. Mas nesse poço que você adora pular de vez em quando, só cabe você. Melhor ser esperta e ajudar outras pessoas a gostar de você. Nem Caio, nem Tati e Clarice vão te ajudar. O problema é teu. Resolva. E toma conta do teu coração pra não se esfolar de novo.


Dores vão e vem, mas enquanto tiver um sorriso no meio do caminho, um ombro pra encostar, uma piscada pra esquecer, um céu azul, uma janela aberta e um amanhecer de primavera você vai querer se reerguer e ver que quem perdeu não foi você

Aprende menina, alguns sorrisos recebidos na vida não foram feitos pra lembrar. Foram pra guardar. No coração

|vanessa leonardi|

.

12 comentários:

  1. Eu me encaixo bem na sua descrição, vou seguir seus conselhos.
    Bjs, bom feriado.

    ResponderExcluir
  2. Muito providencial esse post, amei,bjs!

    ResponderExcluir
  3. E lembrar é sempre bom, as vezes dói,mas fazemos questão de lembrar!

    :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. A vida é nossa, a dor também, te cuida e te cura, só você pode fazer isso com toda certeza de que pode dar certo, vai dar certo. :)

    Adorei o texto.

    http://amar-go.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. mesmo que, no começo, o sorriso seja só uma forma de esconder o desespero, de fazer a alegria verdade, com o tempo a gente se cura, se transforma, se renasce, e o riso passa a ser verdadeiro. de um jeito ou de outro, sorrir é sempre mais válido.

    ResponderExcluir
  6. Acho que só podemos guardar aquilo que está em paz. Nada a perturbar na fila do ônibus.

    ResponderExcluir
  7. É vero. Hoje pensava exatamente sobre isto: "E então, sua história muda, orgulhos e tristezas são sentimentos feitos pra deixar de lado. Afinal e ainda bem, sentimento também muda!"
    Estou neste texto, inteiro, inteira! Vou levar pro meu blog. Bjo.

    ResponderExcluir
  8. Vanessa, que palavras profundas, acredito que chegaram até minha alma. Obrigada, pelas palavras encantadoras e penetrantes !

    ResponderExcluir