21.5.11

love is free

.




Eu não quero que se apaixonem por mim, simplesmente porque não consigo sustentar fantasia por muito tempo. Acho que deixei pendurado o sorriso bonito em algum cabideiro de quarto por ai. Não sou mais a melhor companhia que gostariam que fosse. Tenho minhas vontades e no alto do salto dos meus trinta e poucos anos, elas falam menos e agem mais. Sim, hoje, falo muito pouco. Não sou culta e muito menos descolada. Não frequento academias porque sou de água, da ginga, da rua. Isso tudo não quer dizer que sou bem resolvida e dona da minha própria vida. Por isso aviso: -Não goste de mim pela imagem que você criou, nunca consigo sustentar sonho de ninguém, e se isso acontecer, o problema é seu.

O problema é que sou simples demais e algumas manias estranhas me sustentam. Conserto chuveiros e descargas e meu sonho mudou do de Londres para África. Não me pareço com nenhuma moça da camiseta molhada e nem tenho bumbum de panicats. Tenho peitos do tamanho que gosto que eles sejam. Ainda considero como traição troca de celulares e conversas no msn. Mudei muito com o tempo, mas meus valores não. Sei muito bem quando erro e onde erro.

Não vivo mais numa eterna busca, vivo um dia de cada vez. O final do meu arco-íris é bem debaixo do meu nariz. Minha vida é desalinhada, não sou de farra, nem boa pra casar. Sou do avesso, me gosto assim. Acredito no amor, escolhi viver assim. Valorizo até a menor das intenções. A boa fé. Acredito mais no presente. Do futuro, desconfio muito. Acredito quando a conversa é com os olhos. Acredito no que a alma fala. Na verdade, exagero demais na risada que só frouxa quando o vento é forte e estoura em risada outra vez.

|vanessa leonardi|

.

11 comentários:

  1. Olá Vanessa,
    É minha primeira visita ao seu blog e logo de cara curti bastante este seu texto.
    Expressa o individualismo na versão uma vez citada por um tal Oscar Wilde (ele era um belo liberal, mas alguns escritos o mostram como apenas um ser humano refletindo sobre si mesmo). Esse individualismo tão necessário para que nos encontremos para aí sim nos comunicarmos com todos que nos rodeiam, sempre resguardando quem somos!
    Adoraria ter feito um texto como o seu... ah... eu te sigo lá no twitter.
    Continue escrevendo!
    Abs,
    William

    ResponderExcluir
  2. Mais uma vez me tocando profundamente com palavras! É incrível como vc traduz o meu 'eu'.
    Deixando uma marquinha encantada aqui,
    beijo ^^

    ResponderExcluir
  3. Nossa, me vi em cada linha.
    Tenho andado meio anti-sociável, porque estou exatamente assim,

    Adorei o texto, adorei:

    ''Acredito quando a conversa é com os olhos. Acredito no que a alma fala. Na verdade, exagero demais na risada que só frouxa quando o vento é forte e estoura em risada outra vez.''


    Um beijo!

    ResponderExcluir
  4. A maioridade sob um salto, embaixo do tapete, entre uma conta ou outra para pagar. Adorei o texto! Mesmo eu sendo do tipo que adora se olhar no espelho diariamente e gastar dois segundo para se reconhecer, pq mudar em mim, é a unica estabilidade que tenho na vida! =DDD

    Adoreiiii o texto, o desabafo, a ironia e a poesia! =D

    ResponderExcluir
  5. Temo acostumar-me com algum tipo de solidão.

    ResponderExcluir
  6. Rebeca Napoleão24 de maio de 2011 07:34

    Poxa!que descrição!!
    Desejo que as fases da vida te enriqueçam e que através de todas essas experiências vividas, vc continue a abençoar a vida dos que passam por aqui!!!
    Deus desperte, hoje, muitos sorrisos por aí!

    ResponderExcluir
  7. Maravilhoso texto!
    Traduzir-se faz bem.
    BeijO*

    ResponderExcluir
  8. Olá! Fuçando na internet achei seu blog e adorei tudinho aqui! Perfeito! Estou te seguindo e convido-te a seguir o meu: mairacintra.blogspot.com
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Van,

    Da caixa mágica e da alma mágica:

    Você falou de você, e de certa forma falou por muita gente aqui, como eu.
    Sou totalmente assim, Van.
    Sem tirar, nem por.
    E essa frase, me caiu como luva:

    Tenho minhas vontades e no alto do salto dos meus trinta e poucos anos, elas falam menos e agem mais.

    Só mudaria dos meus trinta e poucos, pra quarenta e poucos rs, mas sou eu.

    Tem nada melhor que passar aqui, abrir a caixa mágica com os olhos, e receber tanto presente pra alma.

    Um beijo com todo carinho!

    ResponderExcluir
  10. eu tb acho que mudei muito e nem sou tão boa companhia mais, eu não busco nem espero amores, mais o dia em que ele bater na porta, acho eu, que ele será bem vindo.

    Lindo o texto

    beijusss

    ResponderExcluir