22.5.10

do que há de ser




'Eu sei dizer sem pudor que o escuro me ilumina'

[Manoel de Barros]
.


Põe no varal a tristeza encharcada. É o sol suspenso em sustenido maior, atingindo outra melodia. Secando o que já começava mofar. Possui mais de 3 décadas na barra da saia essa moça, tem ginga cada vez mais cadenciada. Acredita sempre quando pede com muita força que o que há de vir seja doce. Pensa no Caio, e repete sete vezes. Cerra os lábios pra não trincar o silêncio tão senhor das boas intenções.

Dias percorridos com passos de quem aprendeu com o tempo acreditar que morre-se um pouco por dia só pra salvar aquilo que se acredita. Confia, Francisco de Assis não abandona os que buscam pela paz. E vive mais. Colocou nas mãos da mãe do céu, um pedido. Fechou os olhos para entregar o amor que carrega sem peso. A alma pede espaço pra crescer numa voz que ouve durante a noite. Que comentário faria Chico sobre isso? Vai deixar o pensamento ganhar forma e o amor tomar tamanho sem precisão de medidas. Foi num abraço que recebeu outro coração. Cravado no peito. Percebe que todo gesto é semente. Deixa então se multiplicar. A lua ontem tinha forma de sorriso, era pra ela. Hoje é que foi entender porque

.

7 comentários:

  1. vim conferir pra ver se deu certo rs.


    Findi maravilhoso pra vc,com tudo
    de bom que houver.

    beijo.

    ResponderExcluir
  2. deixa brotar, flor.
    que bonita ela ali ó, na fotA!

    beijoca, amorA!

    ResponderExcluir
  3. Vanessa,

    Cheguei aqui através da Ana Flor (Jácomo) e adorei seus escritos. Tudo muito lindo por aqui.

    Beijos,
    Carol

    ResponderExcluir
  4. aww, i wish i could read your blog, but i can't read portuguese... but you have beautiful pictures!

    ResponderExcluir
  5. tão tão bom quando a vida sorri...

    ResponderExcluir
  6. .


    Não sei o porquê da surpresa, mas é sempre bom surpreender, mesmo sem saber o motivo. rsrs

    ... e melhor ainda trocar sorrisos.

    Te deixo o meu ...

    =)

    .
    .

    ResponderExcluir
  7. e o amor vai se ajeitando em seu tamanho, porque o que há de ser, há de ser.

    beijo

    ResponderExcluir