15.1.10

das saídas






'Alguém jamais concordará em rastejar
se encontrar um motivo para voar'

[Helen Keller]


E não deixo meus brinquedos, não porque não quero, mas porque não posso. É que eles precisam de alguém que os abrace. E eu também.  Acho que esqueci como se vira gente grande. Preciso sair de mim pra brincar lá fora, mas tem uns dias que só fico atrás da janela espiando nuvens que gostam de  brincar transformando-se em outras coisas. Um convite pra pular a janela. Daí alguém me puxa pelo braço e diz com voz adulta que já cresci. É quando tenho que usar a porta como saída. E vou pra rua pra fazer o que toda gente quando cresce faz. Mas levo agarrados ao peito meus brinquedos de menina. Porque eles precisam de abraço quentinho e porque só eles conseguem me mostrar a porta de saída quando aqui dentro, o negócio ta pegando fogo
.

10 comentários:

  1. é que todo esse mundo, tão nosso, é porto seguro.

    um aconchego isso aqui, né van!

    um beijo!

    ResponderExcluir
  2. aah, van, mas dá pra crescer em aconchego, permanecendo com doce alma, que deve ter cheiro de flor, e dá vontade de cantar com ela uma bonita cantiga de vida.
    e tuas palavras eu tenho guardado no coração, pra ver se paro de ser dura e volto a ser singela, com um tantinho de açucar, como tu, ao menos, fazes questão de tentar ser, e adoçar-nos.

    lindo, lindo.

    ResponderExcluir
  3. O pior é quando a gente cresce com medo de ser pra sempre criança. E vai perdendo a essência justamente por causa desse medo. Porque criança se joga mesmo nas coisas, na vida, se machucar tudo bem vai ter sempre alguém pra assopar, pra dizer que quando casar sara.Será que sera mesmo?

    Amei aqui, ainda não conhecia seu blog.

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Você me socorre
    mesmo quando não está por perto.

    *

    ResponderExcluir
  5. Não sei como é essa história de ser gente grande.. deve ser dificil.. ixi!

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. [...] Quando criança, e depois adolescente, fui precoce em muitas coisas. Em sentir um ambiente, por exemplo, em apreender a atmosfera íntima de uma pessoa. Por outro lado, longe de precoce, estava em incrível atraso em relação a outras coisas importantes. Continuo, aliás, atrasada em muitos terrenos. Nada posso fazer: parece que há em mim um lado infantil que não cresce jamais....

    Lispector

    Menina sim, ainda q mulher...q haja semptre este permanecer em ti Nessa pq ser grande ainda é permitir-se ser criança, só há mesmo grandeza nos pequeninos...né!

    bjinhos

    Erikah

    ResponderExcluir
  8. Eu às vezes tenho minhas dúvidas quanto a virar gente grande ou permanecer criança. =/
    bjs bjs

    ResponderExcluir
  9. Quem não tem seus momentos Peter Pan?Esse lado criança é que nos permite ter leveza,brincar é extremamente necessario para manter esse aconchego alegre no peito.

    ResponderExcluir
  10. Também não abandono sequer meus brinquedos. . . me identifico muito com esse teu fragmento. Sempre volto para ler novamente.

    ResponderExcluir