1.11.09

dos prazeres


É depois da meia-noite que o feitiço se faz e a vida brota igual mato num dia chuvoso. Tudo já não a comove mais. A mesma história. O mesmo meio. E o mesmo fim. A vida é um sentir entre os dedos. E sente aquilo que os olhos podem ver. Não acha graça domesticar adultos, mas se tornar selvagem pelo tocar. Pelo prazer de sentir que não há nada do que ser perdoada quando viveu todos os sentidos depois da meia- noite.

Depois da meia noite é que a vida tem graça...

.

7 comentários:

  1. é sempre uma questão de como se enxerga as coisas. a gente prefere sempre o ângulo mais bonito, né van?

    uma beijoca estalada!

    ResponderExcluir
  2. é depois da meia noite que a cinderela dá um chute no principe e vai dançar sem sapatinho de cristal.

    bonita sua caixa mágica.

    ResponderExcluir
  3. selinho pra você no meu blog, amorA!
    beijo.

    ResponderExcluir
  4. "depois da meia noite é que a vida tem graça"

    totalmente eu! rs adorei.

    ResponderExcluir
  5. Um dia, ela se entedia.


    Até lá...






    Beijos,









    Marcelo.

    ResponderExcluir